Logo Bioparque Serra Negra

..

Bambu

Características

 

O bambu é uma gramínea capaz de se espalhar pelo solo por meio de caules subterrâneos chamados de rizomas. Há mais de mil espécies diferentes de bambus. 


Ao crescer e endurecer, o caule do bambu passa a ter folhas nascendo ao longo de seu eixo, e podemos chamar esta estrutura de colmo. Eles possuem um pico de crescimento e podem atingir seu tamanho final depois de alguns meses.
 

Por ser leve e possuir uma estrutura muito resistente depois de poucos anos de idade, o bambu é muito utilizado na construção de estruturas. Casas, andaimes e até mesmo pontes são construídas com bambu.

Curiosidades

 

O broto do bambu é muito utilizado na gastronomia asiática por ser macio e carnoso, ao contrário de seu colmo quando cresce. 


Algumas espécies de bambu podem crescer até 1 metro por dia.
 

A floração do bambu pode ocorrer de forma gregária, onde plantas separadas por muitos quilômetros florescem juntas. Outra curiosidade sobre a floração é que podem ter um intervalo de alguns meses ou até mais de 100 anos, variando com a espécie.

DSCN9635.JPG

Habitat de outras espécies

 

Logo depois de florescer, os bambus soltam suas sementes que atraem outras espécies que se alimentam delas, como os roedores. Há também aves especializadas em se alimentar da semente de uma única espécie de bambu (Chusquea aff. meyeriana) que produz muitas em pouco tempo, como a cigarra-bambu (Haplospiza unicolor), que só é avistada nesses bambus durante seu período de produção de sementes.


Muitas aves da Mata Atlântica utilizam os bambuzais para se alimentarem, por exemplo o formigueiro-de-trovoada (Drymophila ferruginea) e trovoada-de-bertoni (Drymophila rubricollis), se alimentam dos insetos que vivem sobre as folhas dos bambuzeiros.
 

Outros roedores, como o rato-de-taquara, vivem apenas em bambuzais, onde se alimentam de brotos, galhos e folhas de bambu. A presença de roedores pode atrair seus predadores, como as serpentes, que também utilizam os bambuzais como habitat devido a grande presença de roedores, contribuindo com o controle populacional dessas espécies.

Instituto Últimos Refúgios, 2013.jpg
Hector Bottai, 2017.jpg
Ricardo Indio, 2017.jpg

Para mais informações: 

 

LEME, A. Foraging patterns and resource use in four sympatric species of antwrens.  Journal of Field Ornithology 72: 221-227, 2001.
RAVEN, P. H.; EVERT, R.F.; CURTIS, H. Biologia Vegetal. 8. ed. Rio de Janeiro: Ed. Guanabara Koogan, 2014.
OLMOS, F.; GALETTI, M.; PASCHOAL, M.; MENDES, S.L. Habits of the southern Bamboo Rat, Kannabateomys amblyonyx (Rodentia, Echimyidae) in Southeastern Brazil.  Mammalia 57: 325-333, 1993.